Skip to content

Photopea me fez largar o Photoshop de vez

Published

  • #design
  • #software

This blog articles are only available in Portuguese for now. English translations for every post are yet to come.

Com certa frequência eu preciso fazer algumas edições de imagens. Geralmente não é nada complexo e, seguindo minhas raízes de sempre ter tido um computador inferior, sempre que eu precisava fazer essas edições mais rápidas, ao invés de abrir o Photoshop eu preferia usar o Photopea, um editor de imagens online muito semelhante ao programa da Adobe.

Inclusive, no último post sobre usar o WordPress como um headless CMS, todas as imagens que eu usei foram feitas no Photopea. Todas as thumbnails até o momento também foram feitas por lá:

Vantagens do Photopea

Seguindo essa prerrogativa, por ser uma aplicação web rodando no seu navegador, o Photopea é mais leve por concepção. Nos meus tempos de computador ruim, eu preferia usar o Photoshop CS6 ao CC por causa do tempo que o programa leva para abrir, e isso é um problema que ainda perdura se você não tiver um SSD. Ainda assim, entre esperar 10 segundos para o Photoshop abrir e não ter que esperar o Photopea carregar… já sabe, né?

Seguindo, vi um tweet outro dia de alguém que odiava o formato WebP e eu não entendi, já que eu enquanto desenvolvedor web adoro. Acontece que a maioria dos programas não abrem esse formato, diferente do Photopea que tem suporte não só para arquivos ✨ WebP ✨, mas também muitos outros formatos, incluindo vetores como SVG, AI e PDF.

Outro ponto é que você pode copiar e colar imagens sem ter que criar um projeto antes. Você também pode colar imagens transparentes sem vir com um fundo preto de brinde. Ou abrir imagens via URL.

Ah, e você tem muito mais opções para exportar suas imagens.

Um ponto que o Photoshop também cumpre mas que acho válido mencionar, é que o Photopea é compatível com mesa digitalizadora por padrão, ao menos para minha Wacom. Isso me deixou surpreso considerando ser uma aplicação web.

Esse é bom: funciona em dispositivos móveis. Sim, um editor de imagens completo funciona perfeitamente no telefone pelo navegador e com um suporte até que decente para toque.

É gratuito.

Desvantagens do Photopea

Não há.

A barra lateral do site mostra anúncios. Há uma assinatura trimestral de cerca de R$50 para remover publicidade, mas todas as funcionalidades são gratuitas.

Trabalhar com GIFs animados é um terror. O Photopea não tem uma aba de linha do tempo como o Photoshop tem e fazer animações pode ficar um pouco complicado e técnico demais. Pelo menos eles disponibilizam um guia para isso.

Demais considerações

Por se tratar de uma aplicação web, o Photopea não reconhece as fontes que você instalou no seu sistema. Em contrapartida, ele tem integração com o Google Fonts que, enquanto desenvolvedor web, é onde estão a maioria das fontes que eu já uso, então acaba sendo uma troca justa para mim. Para usar outras fontes você pode subir o arquivo delas.

E apesar do Photopea tentar ser bem fiel ao Photoshop, algumas ferramentas e teclas de atalho são diferentes. É o caso de salvar o projeto ou criar um novo, em que o [CTRL + S] e [CTRL + N] já são usados pelo navegador.

Tratamento de fotos

A única razão para que eu continuasse usando o Photoshop era para tratar minhas selfies antes de publicar no Instagram. Considere que eu já uso os filtros da câmera do Stories ou, se não, eu ao menos uso o Lightroom no próprio telefone para tratar as cores, então minha tarefa no Photoshop costuma ser basicamente cortar em 4:5 e remover as espinhas mais aparentes.

Quando estava escrevendo esse post resolvi testar e, para minha surpresa, o Photopea traz resultados idênticos aos que eu tinha com o Photoshop! As ferramentas que eu mais uso são o Pincel de Recuperação para Manchas, que no Photopea se chama Cicatrização Localizada, e a Ferramenta de Correção.

Vou deixar aqui um exemplo de como o meu processo se parece:

Manipulação de vetores

Poder importar um SVG no projeto é muito útil para mim, pois eu normalmente trabalho com ícones e logos nesse formato e não precisar converter para PDF ou bitmap antes é uma mão na roda.

Além do suporte nativo, o Photopea conta com algumas funcionalidades básicas para manipular vetores, como criar e editar formas, o que não é nem de longe o suficiente para substituir o Illustrator e, apesar de essa nunca ter sido a proposta, é o que ainda me deixa preso à Adobe.

Análise final

No frigir dos ovos, o Photopea chegou prometendo ser uma simples alternativa online ao Photoshop e acabou entregando uma ferramenta até que poderosa o suficiente para me fazer deixar o editor da Adobe de lado sem ter que me dedicar a aprender um novo programa.

Entregou tudo sem prometer nada, 10/10